Previous Page  60 / 98 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 60 / 98 Next Page
Page Background

150

Figura 2 –

Alterações eletrocardiográficas observadas antes e após a aplicação do protocolo terapêutico com nifurtimox e dipiridamol associado a

medicamentos para insuficiência cardíaca. São apresentados os registros eletrocardiográficos na derivação DIII de dois animais, antes do início do

tratamento (à esquerda) ou após o tratamento (à direita). No registro (A), mostramos distúrbios isquêmicos, caracterizados pela inversão da onda T

e ponto J abaixo da linha isoelétrica, os quais foram revertidos pelo protocolo terapêutico com restituição da morfologia e amplitude da onda T (B);

adicionalmente, o tratamento induziu uma recuperação da amplitude da onda P. Em (C), pode-se observar uma diminuição das amplitudes do complexo

QRS e da onda T, notando-se que a onda T tem um platô prolongado; após o tratamento (D) pode ser observada a recuperação da amplitude do complexo

QRS e da onda T, que praticamente recuperou a morfologia normal. As barras verticais indicam 400 μV; as horizontais indicam 100 ms.

Tabela 2 – Parâmetros qualitativos eletrocardiográficos registrados em camundongos com cardiomiopatia chagástica

aguda e insuficiência cardíaca antes e após o início do protocolo terapêutico

Parâmetros

Grupos experimentais

Nif-Dip

Nif-Dip-ICC

Antes

n (%)

Depois

n (%)

Antes

n (%)

Depois

n (%)

Dissociação atrioventricular

5 (50)

2 (20)

0 (0)

2 (25)

Extrassístoles ventriculares

0 (0)

3 (30)

1 (12,5)

1 (12,5)

Extrassístoles nodais

0 (0)

5 (50)

0 (0)

1 (12,5)

Fibrilação atrial

4 (40)

3 (30)

0 (0)

2 (25)

Nif-Dip: grupo tratado com nifurtimox (40 mg/kg) associado ao dipiridamol (30 mg/kg); Nif-Dip-ICC: grupo tratado com nifurtimox (40 mg/kg) e

dipiridamol (30 mg/kg) associados a fármacos para o tratamento da insuficiência cardíaca congestiva (captopril 5 mg/kg, digoxina 8 μg/kg e furosemida

2 mg/kg, os dois últimos administrados apenas por 1 semana).

Aparicio et al.

Terapia de resgate para miocardite chagásica aguda

Int J Cardiovasc Sci. 2017;30(2):145-156

Artigo Original

A análise histopatológica (Tabela 3) em amostras do

ventrículo direito dos camundongos do Grupo Controle

Chagas mostrou espessura do epicárdio aumentada,

miocitólise e infiltrado inflamatório mononuclear

difuso; enquanto no Grupo Nif-Dip, foram observados

apenas infiltrado inflamatório focal reduzido e a

espessura do epicárdio diminuída; o grau de fibrose

foi semelhante em ambos os grupos. Nas amostras do