Português | English

ISSN (Impressa): 2359-4802 | ISSN (Online): 2359-5647




Edição: 29.5 - 11 Artigo(s)

Voltar ao Sumário






ARTIGO ORIGINAL
http://www.dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20160054


Status do Zinco e sua Relação com Biomarcadores de Risco Cardiovascular
Zinc Status of and its Association to Cardiovascular Risk Biomarkers

Camila Maria Simplicio Revoredo, Heila Dias de Sousa Pinho Aguiar, Sueli Maria Teixeira Lima, Elise Sousa Saffnauer, Kaluce Gonçalves de Sousa Almondes, Aldenora Oliveira do Nascimento Holanda, Camila Guedes Borges de Araújo, Nadir do Nascimento Nogueira, Dilina do Nascimento Marreiro

Resumo

FUNDAMENTO: A ação antioxidante de alguns nutrientes é importante na proteção vascular. O zinco, em particular, tem sido associado a um risco reduzido de aterosclerose, acidente vascular cerebral e trombose.
OBJETIVO: O estudo avaliou o status do zinco e sua relação com biomarcadores de risco cardiovascular em adultos saudáveis.
MÉTODOS: Estudo transversal com 186 estudantes universitários de ambos os sexos, com idades entre 20 e 30 anos, selecionados através de amostra por conveniência. As medições dos biomarcadores de risco cardiovascular incluíram o perfil lipídico, o índice de Castelli I e II e circunferência da cintura. O zinco dietético foi avaliado por registro alimentar de três dias utilizando o programa NutWin versão 1.6.0.7. As concentrações plasmáticas e de eritrócitos do mineral foram determinadas por espectrofotometria de absorção atômica com chama. O perfil lipídico foi determinado pelo método enzimático colorimétrico.
RESULTADOS: Os valores médios do consumo de zinco estavam superiores à NME (Necessidade Média Estimada) em ambos os sexos. Os participantes apresentaram concentrações médias de zinco no plasma e eritrócitos inferiores aos pontos de corte. Os valores médios do perfil lipídico, índice de Castelli I e II, e circunferência da cintura estavam adequados. Houve correlação negativa entre o zinco dietético e colesterol total e triglicérides.
CONCLUSÕES: Os participantes têm uma ingestão elevada de zinco e apresentam concentrações plasmáticas e eritrocitárias reduzidas do mineral. Além disso, esse estudo revelou uma associação negativa entre a ingestão de zinco dietético e o colesterol total e triglicérides, biomarcadores do risco cardiovascular, sugerindo a importância do zinco na proteção contra doenças cardiovasculares. (Int J Cardiovasc Sci. 2016;29(5):355-361)

Palavras-chave: Doenças Cardiovasculares / mortalidade, Biomarcadores, Antioxidantes, Adulto.

 






Desenvolvido pela Tecnologia da Informação e Comunicação da SBC | Todos os Direitos Reservados © Copyright 2016 | Sociedade Brasileira de Cardiologia | tecnologia@cardiol.br