Português | English

ISSN (Impressa): 2359-4802 | ISSN (Online): 2359-5647




Edição: 29.5 - 11 Artigo(s)




Voltar ao Sumário






ARTIGO ORIGINAL
http://www.dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20160045


Valores de LDL-Colesterol Estimados pela Equação de Friedewald são Afetados pelo Controle do Diabetes
Low-Density Lipoprotein Values Estimated by Friedewald Equation are Affected by Diabetes Control

Pedro Lima Vieira, Gustavo Neves Araújo, Guilherme Heyden Telo, Luis Felipe Silva Smidt, Mariana Ferreira Jost, Mariana Vargas Furtado, Emilio Hideyuki Moriguchi, Carisi Anne Polanczyk

Resumo

FUNDAMENTO: A equação de Friedewald (EF) é amplamente utilizada para estimar o LDL-c sem utilizar ultracentrifugação. Entretanto, a equação tem limitações em determinados cenários clínicos.
OBJETIVO: O nosso objetivo era investigar a possível importância das diferenças entre a EF e a medição direta de LDL-c em pacientes com diabetes.
MÉTODOS: Realizamos um estudo transversal entre 466 pacientes com doença coronária estável. Colesterol total, triglicérides, HDL-c e LDL-c foram coletados, e a EF foi calculada. A acurácia foi calculada como percentagem de estimativas dentro de 30% (P30) do LDL medido. O viés foi calculado como a diferença média entre o LDL-c medido e o estimado. A concordância entre os métodos foi avaliada utilizando gráficos de Bland-Altman.
RESULTADOS: O viés foi de 3,7 (p=0,005) e 1,1 mg/dl (p=0,248), e a acurácia foi de 86% e 93% em pacientes diabéticos e não-diabéticos, respectivamente. Entre os pacientes com diabetes, o viés foi de 5 mg/dl (p=0,016) e 1,93 mg/dl (p=0,179), e a acurácia foi de 83% e 88% em indivíduos com hemoglobina A1c superior a 8 mg/dl versus abaixo do ponto de corte, respectivamente. O viés foi similar em pacientes sem diabetes comparados com pacientes com diabetes e HbA1C < 8 (1,1 e 1,93 mg/dl).
CONCLUSÃO: A EF é imprecisa entre indivíduos gerais com diabetes. Porém, ao estratificar pacientes com diabetes em bom e mau controle da doença, o primeiro grupo se comporta como se não tivesse diabetes, com uma boa correlação entre o LDL-c calculado e o mensurado. É importante saber quando é razoável usar a EF, porque uma estimativa imprecisa dos níveis de LDL-c pode resultar no subtratamento da dislipidemia e predispor estes pacientes a eventos agudos. (Int J Cardiovasc Sci. 2016;29(5):348-354)

Palavras-chave: Hipercolesterolemia, LDL-Colesterol/sangue, VLDL-Colesterol/sangue, Matemática, Diabetes Mellitus.

 






Baixe agora o aplicativo do International Journal of Cardiovascular Sciences,
disponível para todos os dispositivos móveis.



Desenvolvido pela Tecnologia da Informação e Comunicação da SBC | Todos os Direitos Reservados © Copyright 2016 | Sociedade Brasileira de Cardiologia | tecnologia@cardiol.br