Português | English

ISSN (Impressa): 2359-4802 | ISSN (Online): 2359-5647




Edição: 28.3 - 13 Artigo(s)


EDITORIAL

Excesso de diagnósticos em cardiologia: a questão do "overdiagnosis"
Excess diagnosis in cardiology: the overdiagnosis issue

Cláudio Tinoco Mesquita
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):163-164
PDF PORT     PDF ENGLISH


ARTIGO ORIGINAL

Não compactação do ventrículo esquerdo no adulto: experiência de uma clínica de insuficiência cardíaca
Left ventricular noncompaction in adulthood: heart failure clinic experience

José Emanuel Faria da Costa; Catarina Pereira; Filipa Gomes; Paulo Bettencourt; Pedro Bernardo Almeida
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):165-172

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A não compactação do ventrículo esquerdo (NCVE) é um tipo distinto de cardiomiopatia, que apresenta várias características específicas. O curso natural desta entidade não é totalmente conhecido.
OBJETIVOS: Definir as características clínicas, complicações e sobrevida de pacientes com NCVE, acompanhados em clínica de insuficiência cardíaca (IC).
MÉTODOS: Estudo retrospectivo que incluiu pacientes com NCVE, tratados em clínica de IC do Hospital São João, na cidade do Porto, Portugal, de janeiro de 2006 a fevereiro de 2014. Os dados demográficos, sintomas de IC e fração de ejeção no início do tratamento, o curso da NCVE (alterações da classe funcional), efeitos colaterais e sobrevivência foram registrados a partir dos prontuários.
RESULTADOS: Foram incluídos 10 pacientes, 6 do sexo masculino, com mediana de 63 anos de idade. Nove apresentavam sintomas de IC e começaram medicação modificadora de prognóstico. Todos tinham fração de ejeção do ventrículo esquerdo <45%. Um paciente não iniciou hipocoagulação oral; 7 apresentaram algum grau de recuperação de sintomas de IC; 3 foram hospitalizados com exacerbações de IC; 1 teve acidente vascular encefálico cardioembólico; e 1 paciente foi submetido a transplante de coração.
CONCLUSÕES: Os pacientes com NCVE apresentaram comorbidades semelhantes às da população geral da sua faixa etária, exceto o aparente aumento da prevalência de FA. Estes pacientes responderam bem à terapêutica para a IC com benefício clínico. Houve poucas complicações, a maioria permaneceu clinicamente estável, sem qualquer hospitalização e com baixa taxa de mortalidade. Contudo, trata-se de um pequeno grupo de pacientes com tempo de seguimento curto.


Palavras-chave: Insuficiência cardíaca sistólica; Insuficiência cardíaca; Miocárdio ventricular não compactado isolado

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Estudo clínico e molecular na distrofia muscular de Duchenne
Clinical and molecular study on Duchenne muscular dystrophy

Gesmar Volga Haddad Herdy; Roberta Duarte Bezerra Pinto; Guilherme de Almeida Costa; Ana Flavia Malheiros Torbey; Vivianne Galante Ramos; Marcio Moacyr Vasconcelos
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):173-180

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A forma de Duchenne é a mais comum e grave das distrofias musculares. De herança recessiva ligada ao cromossoma X, acomete meninos e afeta os músculos estriados e o miocárdio. Origina-se de mutações no gene da distrofina, o maior gene humano com 79 éxons.
OBJETIVOS: Verificar as alterações cardíacas iniciais em pacientes pediátricos com distrofia muscular de Duchenne (DMD) e realizar o estudo molecular das alterações no gene da distrofina.
MÉTODOS: Estudo prospectivo incluindo pacientes pediátricos portadores de DMD, com avaliação clínica, medição do nível sérico de creatinofosfoquinase, eletrocardiograma, ecoDopplercardiograma e eletrocardiografia dinâmica e genotipagem do DNA, com amplificação dos 18 éxons mais acometidos.
RESULTADOS: Foram estudados 11 meninos de 6-14 anos de idade. Não havia alterações importantes ao exame clínico cardiológico. Observou-se aumento da creatinofosfoquinase em todos os pacientes. O eletrocardiograma mostrou alterações precoces, com ondas R altas em V1 (n=7), bloqueio de ramo direito (n=2), ondas delta e PR curto (n=1) e distúrbio da repolarização ventricular (n=1). Em 4 pacientes, o ecocardiograma evidenciou sinais de disfunção sistólica. O eletrocardiograma dinâmico (Holter) mostrou alteração em 4 pacientes: com muitas extrassístoles (n=3) e com síndrome de Wolff-Parkinson-White (n=1). Todas as crianças recebiam corticoterapia. Não houve correlação significativa entre a deleção do éxon 52 e arritmias (p=0,43). O estudo molecular evidenciou deleção do éxon 52 nos 4 pacientes com cardiomiopatia dilatada, sendo que em 2 havia deleção concomitante nos éxons 1 e 50, respectivamente. Nos outros 7 pacientes havia deleção nos éxons 48, 51, 52 e 57.
CONCLUSÕES: O eletrocardiograma mostrou as primeiras alterações nos pacientes pediátricos com DMD. Nos casos com cardiomiopatia dilatada e arritmia, detectou-se deleção do éxon 52.


Palavras-chave: Distrofia muscular de Duchenne; Distrofina; Criança

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


O entendimento do paciente sobre hipertensão arterial: uma análise com base no risco cardiovascular
The patient's knowledge about hypertension: an analysis based on cardiovascular risk

Helbert do Nascimento Lima; Anderson Ricardo Roman Gonçalves; Amanda Lewandowski da Silva; Aline Fachin Olivo; Thais Yuri Miura; Lisiane Martins
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):181-188

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: O autoconhecimento da hipertensão arterial pode contribuir para seu melhor controle; no entanto, desconhece-se o quanto esse conhecimento é influenciado pela gravidade da própria doença.
OBJETIVO: Avaliar o conhecimento de sujeitos com hipertensão arterial sistêmica sobre a própria doença com base no risco cardiovascular.
MÉTODOS: Estudo transversal, qualiquantitativo, com utilização de entrevista semiestruturada aplicada em 113 sujeitos com hipertensão, acompanhados em uma Unidade Básica de Saúde de Joinville, SC, Brasil. Dados socioeconômicos, antropométricos, laboratoriais e valores de pressão arterial foram considerados em cada grupo de risco cardiovascular, estratificados com base nas VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial.
RESULTADOS: A média de idade foi 57,8±10,0 anos, 64,0% de mulheres. A idade mais avançada, maior valor da pressão arterial sistólica e tempo de hipertensão, bem como a maior presença de diabetes, dislipidemia e tabagismo foram mais prevalentes no grupo de maior risco cardiovascular. O conhecimento envolvendo os fatores de risco e modificação do estilo de vida não foi diferente entre os grupos de risco cardiovascular. Apenas o conhecimento sobre as complicações associadas à hipertensão arterial foi menor no grupo de muito alto risco cardiovascular (p<0,001).
CONCLUSÃO: O grupo de maior risco cardiovascular é aquele que evidencia maior desconhecimento sobre as complicações associadas à hipertensão arterial sistêmica.


Palavras-chave: Hipertensão; Doenças cardiovasculares; Educação em saúde; Educação de pacientes como assunto

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Síndrome metabólica é o principal preditor de isquemia miocárdica na SPECT
Metabolic syndrome is the main predictor of myocardial ischemia in SPECT

Maria Laura Rubbo-Blanco; Bernardo Nóbrega de Oliveira; Aristarco Gonçalves de Siqueira Filho; Ronir Raggio Luiz; Ronaldo de Souza Leão Lima
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):189-199

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: Dados mostram que a síndrome metabólica (SM) aumenta o risco de doença cardiovascular.
OBJETIVOS: Descrever e comparar as alterações cintilográficas e o valor preditivo de isquemia miocárdica em indivíduos com e sem SM, encaminhados para tomografia computadorizada de emissão de fóton único (SPECT) em Hospital Universitário utilizando três critérios diagnósticos de SM.
MÉTODOS: Estudo prospectivo observacional de pacientes encaminhados para SPECT de junho a dezembro 2010. Altura, peso e circunferência da cintura foram medidos. Levantamento de fatores de risco e revisão de prontuários médicos foi realizado em busca de parâmetros para diagnóstico laboratorial de SM e relatórios completos de SPECT.
RESULTADOS: Foram incluídos 203 pacientes; 138 mulheres (68,0%); média de idade 63,6±11,5 anos. Apresentaram SM, 135 pacientes (66,5%). Entre os 99 exames alterados, 91,9% (n=91) ocorreram em pacientes com SM e 8,1% (n=8) em pacientes sem SM. Houve associação significativa entre a SM e a cintilografia anormal (67,0% vs. 11,8%; p<0,001) e os pacientes com SM tinham anormalidades de maior extensão e gravidade (escore de estresse somado (SSS)=7,3±6,5 vs. 3,0±0,9; p<0,001 e escore de diferença somado (SDS)=3,4±4,3 vs. 0,9±2,5; p<0,001). SM foi preditor independente de isquemia miocárdica nas três definições estudadas (OR=10,07, 6,25 e 4,26 para NCEP-ATP III modificado, NCEP-ATP III e IDF, respectivamente).
CONCLUSÕES: Pacientes com SM apresentaram mais defeitos de perfusão na SPECT (tanto fixa e reversível); e SM definida pelo NCEP-ATP III modificado foi o melhor preditor independente de isquemia miocárdica na cintilografia.


Palavras-chave: Metabolismo; Técnicas de imagem cardíaca; Imagem molecular

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Mortalidade em cirurgias cardíacas em hospital terciário do sul do Brasil
Mortality in cardiac surgeries in a tertiary care hospital of south Brazil

Guilherme Maia Monteiro; Daniel Medeiros Moreira
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):200-205

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A prevalência de doenças cardiovasculares é muito alta e cirurgias cardíacas são comuns em centros terciários de atenção cardiovascular.
OBJETIVO: Avaliar a mortalidade cirúrgica e comparar com a mortalidade esperada pelo EuroSCORE em pacientes de centro terciário de atenção cardiovascular.
MÉTODOS: Trata-se de coorte histórica que avaliou pacientes submetidos a cirurgias cardíacas em 2011 e 2012, em hospital terciário de referência em cardiologia no sul do Brasil. O desfecho principal foi a mortalidade por qualquer causa durante a internação hospitalar. Os desfechos secundários foram a mortalidade de acordo com o procedimento cirúrgico, o EuroSCORE total e de acordo com o procedimento, a mortalidade ajustada por EuroSCORE e o perfil de risco dos pacientes.
RESULTADOS: Foram incluídos 364 pacientes. Cirurgia de revascularização do miocárdio (CRM) isolada foi o procedimento realizado em 59,9% dos pacientes, o procedimento valvar (PV) isolado (troca ou plastia valvar) em 33,0% e a CRM + PV em 7,1% dos pacientes. A mortalidade observada foi 14,2%, sendo 5,2% nas primeiras 24 horas. A mortalidade esperada pelo EuroSCORE, por sua vez, foi 5,7±7,4%. A mortalidade ajustada foi, assim, 2,5 vezes superior à esperada, mas dentro do intervalo de dois desvios-padrão da mortalidade esperada. A mortalidade associada aos procedimentos combinados, entretanto, foi 5,2 vezes superior a do EuroSCORE esperado e superior ao intervalo de dois desvios-padrão do EuroSCORE.
CONCLUSÃO: Pacientes submetidos à cirurgia cardíaca no centro estudado apresentaram mortalidade superior à esperada, em especial aqueles submetidos a procedimentos combinados.


Palavras-chave: Cirurgia torácica; Revascularização miocárdica; Implante de prótese de valva cardíaca

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Síndrome metabólica em pacientes com insuficiência cardíaca
Metabolic syndrome in patients with chronic heart failure

Juliana Frigeri da Silva; Denise Tavares Giannini; Ricardo Mourilhe-Rocha
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):206-214

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A insuficiência cardíaca é a via final comum da maioria das doenças que acometem o coração, considerada um dos mais importantes desafios clínicos atuais na área da saúde. Evidências epidemiológicas demonstram cada vez mais a associação entre síndrome metabólica e presença de alterações cardiovasculares, já que, de forma independente, os fatores de risco que estão relacionados à insuficiência cardíaca são os mesmos que compõe a síndrome metabólica, contribuindo, substancialmente, para o aumento da morbimortalidade cardiovascular.
OBJETIVO: Avaliar a presença de síndrome metabólica em pacientes com insuficiência cardíaca crônica, atendidos em clínica de insuficiência cardíaca.
MÉTODOS: Trata-se de estudo transversal que avaliou pacientes portadores de insuficiência cardíaca crônica, atendidos na Clínica de insuficiência cardíaca de Hospital Universitário. A coleta de dados compreendeu a avaliação antropométrica, clínica e bioquímica. O diagnóstico de síndrome metabólica foi estabelecido pelos critérios da International Diabetes Federation.
RESULTADOS: Foram avaliados 90 pacientes, sendo 51% (n=46) do sexo masculino, com média de idade de 62,7±12,3 anos. O estudo identificou elevada frequência de síndrome metabólica (71%; n=64) correlacionando-se significativamente com o aumento do índice de massa corporal (p<0,001). Ao comparar os grupos, observou-se que o diabetes mellitus foi significativamente mais frequente no grupo com síndrome metabólica (p<0,001).
CONCLUSÃO: Os indivíduos portadores de insuficiência cardíaca apresentaram elevada frequência de síndrome metabólica, sendo o diabetes mellitus a alteração mais frequente no grupo com síndrome metabólica.


Palavras-chave: Insuficiência cardíaca; Síndrome X metabólica; Doenças cardiovasculares

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Lipemia pós-prandial e inflamação subclínica em mulheres ativas que utilizam contraceptivo oral
Postprandial lipemia and subclinical inflammation on active women taking oral contraceptive

Jefferson Petto; Djeyne Wagmacker Silveira; Alan Carlos Nery dos Santos; Candice Rocha Seixas; Douglas Gibran Cerqueira do Espirito Santo; Francisco Tiago Oliveira de Oliveira; Cleber Santos Luz; Ana Marice Teixeira Ladeia
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):215-223

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: Mulheres em uso de contraceptivo oral combinado (COC) apresentam perfil lipídico de jejum, lipemia pós-prandial (LPP) e proteína C-reativa (PCR) maiores do que mulheres que não utilizam COC. O exercício físico apresenta bons resultados no controle lipídico e inflamatório.
OBJETIVO: Comparar os valores do perfil lipídico de jejum, da LPP e da PCR entre mulheres ativas e irregularmente ativas em uso de COC.
MÉTODOS: Avaliadas 44 mulheres em uso de COC, da cidade de Salvador, BA, estratificadas em dois grupos: grupo ativo (GA; n=22) formado por mulheres fisicamente ativas e grupo irregularmente ativo (GIA; n=22) formado por mulheres irregularmente ativas. Nos dois grupos, após jejum de 12 horas, realizada a dosagem do perfil lipídico de jejum e da PCR. A seguir, as voluntárias ingeriram um composto contendo 25 g de gordura e foram dosados os triglicerídeos para verificar a LPP. Utilizado o teste de Mann-Whitney para comparação da LPP e PCR.
RESULTADOS: Os valores dos deltas dos triglicerídeos que representam a LPP respectivamente para o GA e GIA foram: 93±38,4 mg/dL vs. 163±49,6 mg/dL e 89±50,9 mg/dL vs. 156±47,6 mg/dL (p<0,01). Os valores da PCR respectivamente para GA e GIA foram: 1,1 mg/L (0,4-2,1 mg/L) e 2,1 mg/L (0,8-3,4 mg/L) (p=0,04).
CONCLUSÃO: Neste estudo, mulheres ativas em uso de COC apresentaram triglicerídeos e LDL de jejum, LPP e PCR significativamente menores que mulheres irregularmente ativas em uso de COC.


Palavras-chave: Exercício; Metabolismo basal; Hormônios; Prevenção primária; Dislipidemias

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Síndrome de Wolff-Parkinson-White com hipertrofia ventricular: preditores de eventos
Wolff-Parkinson-White syndrome and ventricular hypertrophy: events predictors

Lenises de Paula van der Steld; Mario de Seixas Rocha
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):224-233

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A síndrome do PRKAG2 é classificada como uma doença de armazenamento de glicogênio, caracterizada pela presença da síndrome de Wolff-Parkinson-White (WPW), hipertrofia ventricular (HV) e doença do sistema de condução (DSC).
OBJETIVOS: Identificar potenciais fatores prognósticos para eventos em indivíduos acometidos por essa doença e descrever as características clínicas.
MÉTODOS: Sessenta indivíduos foram acompanhados de março de 2005 a março de 2015, estratificados em dois grupos: Grupo 1 (G1) - portadores de WPW, HV ou ambos; e Grupo 2 (G2) - indivíduos assintomáticos, com exame físico, eletrocardiograma e ecocardiograma normais. Realizados anamense, exame físico, eletrocardiograma e ecocardiograma. Quando necessário, realizou-se Holter e estudo eletrofisiológico.
RESULTADOS: Dos 60 indivíduos selecionados, 18 constituíram o G1. Destes, 11 (61,1%) tinham HV associada à WPW, 6 (33,3%) apresentavam WPW isolada e 1 (5,6%) paciente apresentava HV isolada. A média de idade foi 27,0±16,0 anos e 32 (53,3%) eram do sexo masculino. Apenas indivíduos do Grupo 1 apresentaram eventos isolados: 3 (17,0%) paradas cardíacas, 2 (11,0%) mortes súbitas, 6 (33,0%) implantes de marca-passo, 4 (22,0%) acidentes isquêmicos encefálicos transitórios e 9 (50,0%) eventos combinados. Os potenciais preditores de eventos combinados foram: tamanho de átrio esquerdo (p=0,07) diabetes mellitus (p=0,05) e os bloqueios atrioventriculares (p=0,019). Esses fatores não evidenciaram significância estatística, quando comparados na análise de regressão de Cox.
CONCLUSÕES: Em portadores de WPW com hipertrofia ventricular ocorreu associação entre diabetes mellitus, bloqueio atrioventricular e tamanho de átrio esquerdo com os principais desfechos.


Palavras-chave: Hipertrofia ventricular esquerda; Síndrome de Wolff-Parkinson-White; Morte súbita cardíaca

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Fatores de risco cardiovascular e sua relação com o nível de escolaridade numa população universitária
Cardiovascular risk factors and their relationship with educational level in a university population

Rute Pires Costa; Pedro Antônio Muniz Ferreira; Francisco das Chagas Monteiro Junior; Adalgisa de Sousa Paiva Ferreira; Valdinar Sousa Ribeiro; Gilvan Cortês Nascimento; Gustavo de Jesus Pires da Silva; Fernando Mauro Muniz Ferreira; Jair Alves Pereira Neto; Leonardo de Souza Carneiro
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):234-243

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: O menor grau de escolaridade na população parece estar associado com a maior prevalência dos fatores de risco cardiovascular (FRCV). Contudo, poucos estudos avaliaram esse fato através de análise clínica e laboratorial em centros universitários.
OBJETIVO: Avaliar a prevalência dos FRCV em servidores de universidade pública.
MÉTODOS: Estudo transversal, analítico, randomizado, com 319 participantes de uma coorte de servidores universitários. Analisou-se a prevalência dos FRCV através da medição dos níveis glicêmicos e pressóricos, perfil lipídico, índices antropométricos e foram realizadas análises comparativas de subgrupos de diferentes níveis de escolaridade. Realizou-se análise de regressão logística multivariada para avaliar a associação independente entre nível de escolaridade e presença dos FRCV.
RESULTADOS: Média de idade 46,0±10,0 anos, 52,5% mulheres, 56,0% com nível superior de escolaridade, 85,6% pertencentes às classes socioeconômicas B e C. Prevalência dos FRCV: diabetes mellitus (DM) 9,4%; hipertensão arterial sistêmica (HAS) 36,7%; dislipidemia 50,5%; tabagismo 21,9%; sobrepeso 59,6%; obesidade 13,2%; sedentarismo 27,9%. O grupo de menor nível de escolaridade se associou de forma independente com maior prevalência de DM e sedentarismo, quando comparado ao grupo dos servidores com nível superior (docentes e não docentes). DM=odds ratio 2,4 (IC95% 1,05-5,5) e p=0,036; sedentarismo=odds ratio 2,2 (IC95% 1,3-3,7) e p=0,003. Os subgrupos não apresentaram diferenças quanto às demais variáveis.
CONCLUSÃO: Neste estudo, indivíduos com maior nível de escolaridade apresentaram menores prevalências de DM e sedentarismo.


Palavras-chave: Diabetes mellitus; Obesidade; Estilo de vida sedentário; Escolaridade

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


Avaliação da qualidade da dieta hipoenergética em mulheres com excesso de peso
Assessment of the quality of hypoenergetic diet in overweight women

Elizabeth de Paula Franco; Glorimar Rosa; Ronir Raggio Luiz; Gláucia Maria Moraes de Oliveira
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):244-250

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: O número de mortes atribuíveis à dieta não saudável aumentou nas últimas décadas e os instrumentos para sua avaliação apresentam inúmeras limitações.
OBJETIVO: Avaliar o efeito da dieta hipoenergética nos dados antropométricos e bioquímicos e verificar sua qualidade pelo índice de qualidade da dieta revisado para população brasileira (IQD-R) e consumo de alimentos ultraprocessados (AU), em mulheres com excesso de peso.
MÉTODOS: Estudadas 44 mulheres, com excesso de peso, submetidas à dieta hipoenergética por 180 dias. Foram coletados, mensalmente: pressão arterial (PA), dados antropométricos, bioquímicos e dietéticos. Para avaliação da qualidade da dieta empregou-se o IQD-R e o consumo de AU e ingredientes de adição. Utilizaram-se os testes de Wilcoxon e Mann-Whitney com significância estatística de p<0,05.
RESULTADOS: A média de idade encontrada foi 47,0±11,0 anos e do índice de massa corporal (IMC) foi 36,0±7,3 kg/m2. Observou-se redução da massa corporal, IMC, perímetro do pescoço e da cintura, razão cintura/estatura, índice de adiposidade visceral, PA sistólica, concentrações de glicose, de triglicerídeos e lipopoproteínas de muito baixa densidade (VLDL-c). Houve melhora da qualidade da dieta em ambos os grupos com redução significativa do consumo de proteínas, lipídeos totais, ácidos graxos e sódio na dieta classificada como adequada; e redução da energia, glicose, VLDL-c e da PA na inadequada. Houve redução significativa do consumo de AU como refrigerantes, macarrão instantâneo, sucos industrializados e açúcar de adição.
CONCLUSÃO: A dieta hipoenergética reduziu parâmetros antropométricos e bioquímicos e essas modificações não foram explicadas pelo IQD-R, mas pela avaliação dos AU e ingredientes de adição.


Palavras-chave: Obesidade; Dieta hipoenergética; Qualidade da dieta

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


ARTIGO DE REVISÃO

Lúpus eritematoso sistêmico: revisão das manifestações cardiovasculares
Systemic lupus erythematosus: review of cardiovascular aspects

Luis Otávio Cardoso Mocarzel; Pedro Gemal Lanzieri; Ricardo Azêdo Montes; Ronaldo Altenburg Odebrecht Curi Gismondi; Cláudio Tinoco Mesquita
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):251-261

+   Resumo  
Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma condição autoimune com processo fisiopatológico complexo, no qual sua atividade inflamatória é potencializadora da doença coronariana através de inflamação sistêmica, disfunção endotelial e predisposição à trombose. O acometimento cardiovascular no LES não é critério diagnóstico, sendo considerado somente como dano já estabelecido em longo prazo de doença. O objetivo deste artigo é destacar a importância da visão clínica para a identificação precoce do acometimento cardiovascular no LES. É feita uma análise crítica da abordagem cardiológica no LES, com ênfase nos aspectos clínicos, biomarcadores cardiovasculares e genética e solicitação racional dos exames complementares. A particularidade dos pacientes com nefrite lúpica e síndrome do anticorpo antifosfolipídeo também é destacada. A percepção do dano cardíaco subclínico é fundamental para interromper o ciclo de agressão miocárdica e evitar progressão de doença cardíaca.


Palavras-chave: Lúpus eritematoso sistêmico; Doenças cardiovasculares; Inflamação

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 


PONTO DE VISTA

Aneurismas da aorta torácica: avaliação genética e de imagem para cirurgias eletivas
Thoracic aortic aneurysm: genetic and image evaluation for elective surgeries

Mauro Paes Leme de Sá
Int J Cardiovasc Sci. 2015;28(3):262-264

+   Resumo  
Evidências mostram que variações genéticas de um único gene, denominadas "mutações genéticas", predispõem indivíduos aos aneurismas e dissecções da aorta e seus ramos. Com a identificação dessas mutações, diretrizes sugerem o manuseio no diagnóstico, o momento ideal para a correção cirúrgica e a identificação de indivíduos sob alto risco de ruptura ou dissecção e suas respectivas famílias. Essas mutações podem se apresentar de forma "sindrômica", com identificação fenotípica simples ou apresentação "familiar". Nos indivíduos sem características fenotípicas, a ocorrência familiar da mutação genética deve ser investigada através da história familiar, exames de imagem e através de marcadores genéticos.


Palavras-chave: Aneurisma da aorta torácica; Aorta; Síndrome de Marfan; Síndrome de Loeys-Dietz

PDF PORT   PDF ENGLISH  
 





Baixe agora o aplicativo do International Journal of Cardiovascular Sciences,
disponível para todos os dispositivos móveis.



Desenvolvido pela Tecnologia da Informação e Comunicação da SBC | Todos os Direitos Reservados © Copyright 2016 | Sociedade Brasileira de Cardiologia | tecnologia@cardiol.br