Português | English

ISSN (Impressa): 2359-4802 | ISSN (Online): 2359-5647




Edição: 26.6 - 13 Artigo(s)


EDITORIAL

A Revista Brasileira de Cardiologia na velocidade da internet - balanço do biênio 2012-2013
The Brazilian Journal of Cardiology at internet speed - the balance of the biennium 2012-2013

Wolney de Andrade Martins
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):420-421
PDF PORT  



PONTO DE VISTA

Duplo-bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona: ainda há espaço?
Dual blockade of the renin angiotensin aldosterone system: is there still room?

Erika Maria Gonçalves Campana; Rafael Almeida Faria; Andréa Araujo Brandão
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):422-425

+   Resumo  
Os autores avaliam o uso do duplo-bloqueio do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) na hipertensão, na nefropatia, na insuficiência cardíaca e na doença isquêmica do coração. Com base nos resultados dos ensaios clínicos, as diretrizes médicas não recomendam o uso dessa estratégia na prática cardiológica geral, mas apenas em situações especiais como hipertensão arterial resistente, nefropatia com proteinúria significativa e casos selecionados de insuficiência cardíaca. À luz dos conhecimentos atuais, combinações racionais de cada um dos fármacos bloqueadores do SRAA disponíveis com outras classes de anti-hipertensivos são mais recomendadas.


Palavras-chave: Sistema renina-angiotensina; Nefropatias; Cardiopatias

PDF PORT
 


ARTIGO ORIGINAL

Circunferência do pescoço, fatores de risco para doenças cardiovasculares e consumo alimentar
Neck circumference, cardiovascular disease risk factors and food consumption

Vanessa Frizon; Camile Boscaini
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):426-434

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: Indicadores antropométricos como índice de massa corpórea (IMC), circunferência de cintura (CC), relação cintura-quadril (RCQ) e, mais recentemente, a circunferência de pescoço (CP) têm sido utilizados para a identificação do sobrepeso e da obesidade. Esses indicadores estão correlacionados com a síndrome metabólica.
OBJETIVO: Verificar a associação entre CP, fatores de risco para doenças cardiovasculares (DCV) e o consumo alimentar em adultos.
MÉTODOS: Estudo transversal, incluindo 155 adultos entre 20-60 anos, de ambos os sexos que aguardavam por consulta médica, odontológica, psicológica ou nutricional em Unidade Básica de Saúde, os quais foram submetidos à avaliação socioeconômica, antropométrica e nutricional.
RESULTADOS: Estudados 155 indivíduos: 71 % femininos, com média de idade de 38,0±12,1 anos; 70,3 % tinham companheiro; 36,8 % não concluíram o ensino fundamental; 84,5 % eram assalariados. Hipertensão constatada em 22,6 %; diabetes em 5,2 % e dislipidemias em 20 % da amostra. A CP aumentada foi encontrada em 54,8 % da amostra. O excesso de peso encontrado em 36,1 % e a obesidade em 29,0 %. CC aumentada constatada em 54,8 % dos indivíduos e RCQ alta e muito alta em 61,3 %. Os indivíduos com CP aumentada apresentaram consumo de proteínas (p=0,003), lipídeos (p=0,008), gordura saturada (p=0,011), poli-insaturada (p=0,008) e monoinsaturada (p=0,001) significativamente mais elevado do que o grupo com CP normal e também maior proporção de hipertensão (p=0,015), diabetes (p=0,008), dislipidemias (p=0,002), obesidade (p<0,001), CC muito elevada (p<0,001) e RCQ muito alta (p=0,008).
CONCLUSÕES: Os indivíduos com CP aumentada apresentaram maior proporção de hipertensão, diabetes, dislipidemias, obesidade e houve importante associação com o consumo alimentar.


Palavras-chave: Antropometria; Doenças cardiovasculares; Obesidade

PDF PORT
 


Efeito do treinamento resistido em parâmetros cardiovasculares de adultos normotensos e hipertensos
Effect of resistance training on cardiovascular parameters in normotensive and hypertensive adults

Caroline Brand; Luciana Caye Griebeler; Maria Amélia Roth; Fábio Fernandes Mello; Temístocles Vicente Pereira Barros; Letícia Daiani Neu
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):435-441

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A utilização do treinamento resistido (TR) como terapia para a população hipertensa é pouco investigado, mas ainda assim a literatura indica efeitos benéficos desse tipo de treinamento sobre o sistema cardiovascular. São escassos os estudos que avaliam as adaptações cardiovasculares, como a estrutura cardíaca e sua função, na população hipertensa após período prolongado de TR.
OBJETIVO: Analisar o efeito de 48 semanas de treinamento resistido (TR) sobre os diâmetros diastólico (DDVE) e sistólico (DSVE) e a massa do ventrículo esquerdo (MVE), fração de ejeção (FE) e parâmetros hemodinâmicos de indivíduos hipertensos controlados e normotensos.
MÉTODOS: Quinze indivíduos foram estratificados em dois grupos: hipertenso (GH, n=8) e normotenso (GN, n=7). Ambos os grupos realizaram treinamento resistido (TR) por um período de 48 semanas. Foram avaliados os parâmetros antropométricos, hemodinâmicos e cardiovasculares.
RESULTADOS: Os parâmetros cardiovasculares DDVE e DSVE, assim como a MVE e a FE de ambos os grupos estão de acordo com os valores de referência. A MVE e a FE do GH apresentaram reduções favoráveis do pré para o pós-teste.
Conclusão: O TR, de longa periodização, é eficiente como terapia de controle, já que não foi observada evolução no grau da hipertensão. Além disso, não apresenta efeito adverso durante as sessões de treinamento resistido.


Palavras-chave: Hipertensão; Exercício; Sistema cardiovascular

PDF PORT
 


Síndrome metabólica e outros fatores de risco para doença cardiovascular em população de obesos
Metabolic syndrome and other risk factors for cardiovascular disease in an obese population

Hilda Carla Moura dos Santos; Luciana Gonçalves de Orange; Cybelle Rolim de Lima; Maria Magdala Sales de Azevedo; Keila Fernandes Dourado; Sheylane Pereira de Andrade
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):442-449

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A síndrome metabólica (SM) se caracteriza pela perda da homeostase corporal. Está relacionada principalmente com a obesidade abdominal, que se associa às alterações no perfil lipídico, ao aumento da pressão arterial e à hiperinsulinemia, fatores esses que aumentam o risco de diabetes mellitus (DM) tipo 2, doenças cardiovasculares e resistência à insulina. A adesão ao exercício físico e a um plano alimentar saudável é fundamental no tratamento da SM.
OBJETIVO: Verificar a prevalência da síndrome metabólica (SM) e outros fatores de risco para doenças cardiovasculares (DCV) em obesos.
MÉTODOS: Estudo transversal incluindo 293 pacientes obesos, acompanhados no ambulatório de nutrição. A SM foi definida segundo o NCEP-ATP III.
RESULTADOS: Dos indivíduos avaliados (44 homens e 249 mulheres), 67,7 % apresentaram SM, sem diferença entre os sexos, e mais frequente nos idosos. As comorbidades mais prevalentes foram: dislipidemias (69,1 %), hipertensão arterial sistêmica (49,0 %) e diabetes mellitus ou intolerância à glicose (36,3 %). Aqueles com SM apresentaram maior frequência de outros indicadores para DCV (relação TG/HDL; razão cintura/estatura; LDL e CT).
CONCLUSÃO: Verificou-se elevada prevalência de SM associada a várias comorbidades e outros indicadores para DCV.


Palavras-chave: Obesidade; Doenças cardiovasculares; Síndrome X metabólica

PDF PORT
 


Comparação entre a variabilidade da frequência cardíaca de jovens tabagistas e não tabagistas
Comparison of heart rate variability between young smokers and non-smokers

Maria de Fátima Amaral; Mariana Lacerda e Silva; Tatiane Ribeiro Pinto; Bruno Porto Pessoa; Pedro Henrique Scheidt Figueiredo; Gisele do Carmo Leite Machado Diniz
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):450-456

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: As alterações na modulação autonômica do coração podem se manifestar precocemente em fumantes.
OBJETIVO: Comparar a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) em repouso de jovens fumantes e não fumantes, e a modulação autonômica cardíaca durante a manobra de Valsalva (MV).
MÉTODOS: Foram estudados 37 indivíduos saudáveis com média de idade de 20,6±3,6 anos (18 fumantes e 19 não fumantes). A VFC foi registrada em duas etapas: em repouso e durante a MV. Foram avaliados índices de VFC no domínio do tempo (rMSSD e PNN50) e da frequência (HF, LF e LF/HF). O efeito da MV na modulação autonômica foi avaliada pela variação relativa dos índices de HRV.
RESULTADOS: Foram observados menores valores de rMSSD (p=0,011) e pNN50 (p=0,010) no grupo de fumantes em repouso; a frequência cardíaca de repouso foi significativamente menor no grupo não fumante (p=0,035 ). Não houve diferenças significativas entre os grupos para as outras variáveis em repouso. Também não houve diferenças na variação relativa dos índices de VFC induzidas pela MV.
CONCLUSÕES: O hábito de fumar provoca alterações na modulação autonômica cardíaca de indivíduos jovens, que são caracterizadas pela redução da resposta parassimpática ao repouso.


Palavras-chave: Hábito de fumar; Sistema nervoso autônomo; Manobra de Valsalva

PDF PORT
 


Intervenção coronariana percutânea primária em pacientes diabéticos e não diabéticos: resultados e evolução
Primary percutaneous coronary intervention in diabetic and non-diabetic patients: outcomes and progress

Rodrigo Trajano Sandoval Peixoto; Edison Carvalho Sandoval Peixoto; Angelo Leoni Tedeschi; Marcello Augustus de Sena; Bernardo Kremer Diniz Gonçalves; Claudio Buarque Benchimol; Glaucia Maria Moraes Oliveira
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):457-464

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: Estudos mostraram pior evolução em pacientes com diabetes mellitus (DM) submetidos à intervenção coronariana percutânea primária (ICPP).
OBJETIVO: Comparar mortalidade e eventos maiores (EM) em 30 dias e em 1 ano de pacientes diabéticos e não diabéticos tratados com ICPP.
MÉTODOS: Estudo prospectivo de 450 pacientes consecutivos (121 diabéticos e 329 não diabéticos) com infarto agudo do miocárdio (IAM) com supradesnível do segmento ST (SDST) nas 12 horas iniciais de evolução, com utilização de balão ou stent convencional e sem choque cardiogênico.
RESULTADOS: Diabéticos e não diabéticos foram semelhantes quanto a: idade (63,1±10,0 x 62,3±11,7 anos; p=0,44), sexo masculino (63,6 % x 69,9 %; p=0,20) e doença coronariana multivascular (DCM) (66,1 % x 60,8 %; p=0,30), respectivamente. Os diabéticos apresentaram mais dislipidemia (65,3 % x 51,7 %; p=0,01) e disfunção ventricular esquerda grave (15,7 % x 8,2 %; p=0,02). Foram semelhantes: implante de stent (83,5 % x 81,1 %; p=0,86), utilização do inibidor da glicoproteína (GP) IIb/IIIa (79,3 % x 82,2 %; p=0,83), mortalidade em 30 dias (2,5 % x 2,7 %, p=1,00) e em 1 ano (5,0 % x 6,7 %; p=0,65), EM em 30 dias (4,1 % x 6,4 %; p=0,49) e em 1 ano (19,4 % x 15,4 %; p=0,34) em diabéticos e não diabéticos, respectivamente.
CONCLUSÕES: Pacientes diabéticos submetidos à ICPP apresentaram mortalidade e EM semelhantes aos não diabéticos em 30 dias e em 1 ano. Previram mortalidade: insucesso intra-hospitalar, em 30 dias e em 1 ano, e idade >65 anos em 1 ano. DCM previu EM em 30 dias e em 1 ano.


Palavras-chave: Infarto do miocárdio; Diabetes mellitus; Angioplastia

PDF PORT
 


Inflamação subclínica em mulheres que utilizam contraceptivo oral
Subclinical inflammation in women taking oral contraceptives

Jefferson Petto; Leandro Silva Pereira; Alan Carlos Nery dos Santos; Beatriz de Almeida Giesta; Thiago Araújo de Melo; Ana Marice Teixeira Ladeia
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):465-471

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: Estudos recentes mostram que mulheres em uso de contraceptivo oral (CO) apresentam triglicerídeos e lipoproteínas de baixa densidade mais elevados quando comparadas a mulheres que não utilizam CO. Embora ainda sejam desconhecidas as consequências clínicas desse aumento em longo prazo, estudos sugerem que níveis mais elevados das lipoproteínas de baixa densidade contribuam diretamente para o processo inflamatório vascular. Uma das formas mais eficientes de se determinar a inflamação vascular é através da proteína C-reativa de alta sensibilidade (PCR).
OBJETIVO: Verificar se a PCR de mulheres que utilizam CO é maior que a de mulheres que não utilizam CO.
MÉTODOS: Estudo realizado na Faculdade Social da Bahia, Salvador, BA - Brasil no período de julho a dezembro 2012. Incluídas mulheres aparentemente sadias, com idade entre 18-28 anos, eutróficas, classificadas como irregularmente ativas e com triglicerídeos de jejum <150 mg/dL. A amostra foi estratificada em dois grupos: grupo SCO formado por mulheres que não utilizavam nenhum tipo de contraceptivo a base de hormônios e grupo CO formado por mulheres que estavam em uso continuado de CO de baixa dosagem há no mínimo um ano. Após jejum de 12 horas foram coletados 5 mL de sangue para dosagem da PCR.
RESULTADOS: Selecionadas 44 mulheres distribuídas igualmente entre os grupos, idade 24,0±2,9 anos, IMC 21,0±3,2 kg/m2. A mediana e o desvio interquartil da PCR do grupo SCO e do grupo CO foram respectivamente 0,5 mg/L (0,0-0,9) e 2,1 mg/L (0,9-3,2), apresentando diferença estatística significativa (p=0,002).
CONCLUSÃO: Neste estudo a PCR das mulheres que utilizam CO foi significativamente maior que a das mulheres que não utilizam CO.


Palavras-chave: Doença da artéria coronariana; Dislipidemias; Lipoproteínas; Anticoncepcionais; Inflamação

PDF PORT
 


Comparação entre os valores da pressão de pulso em hipertensos controlados e não controlados
Comparison of pulse pressure values in controlled and uncontrolled hypertensive patients

Bruno Bordin Pelazza
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):472-480

+   Resumo  
FUNDAMENTOS: A pressão central reflete com mais precisão as condições de sobrecarga ao ventrículo esquerdo do que as aferições sobre a artéria braquial, nos pacientes hipertensos.
OBJETIVO: Comparar a pressão de pulso (PP) obtida na raiz da aorta com a aquela obtida indiretamente na artéria braquial, em hipertensos controlados (CTL) e não controlados (NCTL).
MÉTODOS: Trata-se de estudo transversal com pacientes admitidos eletivamente, no período de 2009 a 2012, para realização de estudo cinecoronariográfico. Os pacientes foram estratificados em dois grupos: CTL quando os valores da pressão arterial (PA): <140×90 mmHg (n=110); e NCTL quando os valores da PA: >140×90 mmHg (n=120) em uso de medicamentos hipotensores por via oral.
RESULTADOS: Tanto no grupo CTL quanto no NCTL as variáveis da pressão arterial sistólica e a PP foram significativos a partir dos 50 anos de idade. No presente estudo 52,0±6,0 % pacientes estavam no grupo NCLT, sugerindo que um grande número de indivíduos ainda se mantenha exposta a doenças graves como o acidente vascular encefálico e a doença arterial coronariana.
CONCLUSÃO: Com o envelhecimento, notadamente a partir dos 50 anos de idade, a PS e PP aferidas diretamente na raiz da aorta são maiores do que as pressões respectivas aferidas indiretamente na artéria braquial. O diagnóstico e o controle da HAS, se baseados exclusivamente nos níveis obtidos pela PAb podem ser postergados em pelo menos uma década.


Palavras-chave: Hipertensão; Pressão arterial; Rigidez vascular; Doenças cardiovasculares

PDF PORT
 


RELATO DE CASO

Cardiomiopatia de takotsubo em octogenária
Takotsubo cardiomyopathy in octogenarian

Antônio Welington da Silva; Lúcia de Sousa Belém; Francisco Eduardo Siqueira da Rocha; Hilton Aguiar Canuto; Antônio Daniel Leite Simão; Victor Hugo Lauro Soares
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):481-484

+   Resumo  
Mulher, 88 anos, é admitida na emergência com dor anginosa típica, retroesternal, forte intensidade, em aperto, com duração maior que 30 minutos, associada à dispneia, náuseas, lipotímia, sudorese moderada e apresentando supradesnivelamento de segmento ST ao eletrocardiograma após intensa discussão familiar. Paciente é conduzida inicialmente como infarto agudo do miocárdio com supradesnivelamento de segmento ST. Na cineangiocoronariografia, evidenciou-se ausência de lesões em artérias coronárias e balonamento de parede anterior semelhante a um haltere, recebendo diagnóstico de cardiomiopatia de Takotsubo.


Palavras-chave: Cardiomiopatia de Takotsubo; Estresse psicológico; Isquemia miocárdica; Disfunção ventricular esquerda

PDF PORT
 


Uso de betabloqueador no choque cardiogênico da cardiomiopatia de takotsubo
Use of beta-blockers in cardiogenic shock due to takotsubo cardiomyopathy

Ana Filipa Caldeira Damásio; Carlos Alberto Dias Cotrim; Maria José Pereira Campos de Frias Loureiro; Inês Maria Rosário Cruz; Daniel Gomes Caldeira; Hélder Horta Pereira
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):485-488

+   Resumo  
A cardiomiopatia de Takotsubo se caracteriza por alterações reversíveis na função sistólica e segmentar do ventrículo esquerdo associada à coronariografia normal. O choque associado a essa cardiomiopatia é causado por disfunção sistólica e/ou obstrução dinâmica do trato de saída do ventrículo esquerdo. A identificação da etiologia do choque tem implicações terapêuticas. Relata-se o caso de paciente feminina, 76 anos, com cardiomiopatia de Takotsubo cuja apresentação mimetizou infarto agudo do miocárdio complicado com choque cardiogênico. O choque foi revertido após administração endovenosa de propranolol.


Palavras-chave: Cardiomiopatia de Takotsubo; Choque cardiogênico; Valva mitral; Antagonistas adrenérgicos beta

PDF PORT
 


ARTIGO DE REVISÃO

O enfermeiro no monitoramento da pressão central dos hipertensos através da tonometria de aplanação
Role of the nurse for monitoring central blood pressure among hypertensive patients by applanation tonometry

Bruno Bordin Pelazza
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):489-495

+   Resumo  
O diagnóstico e o controle da hipertensão arterial sistêmica, se baseados exclusivamente nos níveis obtidos pela pressão arterial braquial (PAb) por método indireto (oscilométrico e/ou auscultatório) podem ser postergados em pelo menos uma década, prejudicando o início do tratamento. Pacientes com pressão arterial central (PAc) elevada mas com a PAb normal podem ser identificados, pelo enfermeiro, como normotensos e, portanto, terem seus riscos cardiovasculares subestimados. Diagnósticos médicos incorretos implicam uso abusivo ou indiscriminado de medicações anti-hipertensivas, expondo o paciente a efeitos colaterais sérios, com prejuízos na sua qualidade de vida. Ensaios clínicos têm demonstrado que a PAc é melhor preditor de risco cardiovascular futuro do que a PAb. As medidas obtidas da PAc pela tonometria de aplanação (TA), método não invasivo e bastante moderno, são mais seguras, diminuindo as complicações cardíacas e o risco de infecção. O aparelho é portátil e fácil de manusear. Os estudos pesquisados apontam a TA como melhor método para a avaliação e controle da PAc. Há necessidade de mais estudos com a utilização desse recurso diagnóstico na população brasileira.


Palavras-chave: Hipertensão; Pressão arterial; Rigidez vascular; Cuidados de enfermagem; Assistência ao paciente; Monitores de pressão arterial

PDF PORT
 




Agradecimento aos revisores
Revista Brasileira de Cardiologia
Rev Bras Cardiol. 2013;26(6):496
PDF PORT    





Baixe agora o aplicativo do International Journal of Cardiovascular Sciences,
disponível para todos os dispositivos móveis.



Desenvolvido pela Tecnologia da Informação e Comunicação da SBC | Todos os Direitos Reservados © Copyright 2016 | Sociedade Brasileira de Cardiologia | tecnologia@cardiol.br